Av. Brigadeiro Faria Lima, 1826
2º - Andar - Jardim Paulistano
Tel.: 55 11 3812 - 8477
E-mail: clinicalen@clinicalen.com.br

Perguntas e Respostas


Alimentação: dificuldades do segundo ano de vida

Pergunta?

Dr. Jairo, Tudo bem? Foram bem de Páscoa? Bom, a C. há umas 3 semanas tem dado muito trabalho para comer no almoço e jantar. O almoço é sempre pior, pois ela vem bem cansada da escola, quase dorme no carro (eu não deixo) e quando chega em casa é manha para tudo e principalmente para comer. Tenho que distraí-la com uma caneta e papel e passado alguns minutos a caneta já não é mais distração e eu tenho que ficar inventando distração para ela abrir a boca, às vezes ela fica 10min com uma colherada na boca sem mastigar, tenho que lembrá-la de mastigar, além disso, fica pedindo água de coco, se eu dou, ela não larga mais o copo, se eu não der ela fica chorando e não come mais, enfim, este tem sido um problema que eu não estou conseguindo resolver sozinha, pois perco um pouco a paciência e acho que ela deve perceber e isso até piora a situação. Na escola ela come bem, sempre vem anotado na agenda que comeu bem a fruta e bolachas e na lancheira não volta nada. A tarde ela sempre toma a mamadeira inteira e às vezes nem pede mais nada para comer e eu também nem ofereço, pois quero que ela coma melhor no jantar. Gostaria muito da sua opinião e conselho sobre como lidar com essa situação. Muito obrigada Um beijo


Resposta.

Tudo bem? Por aqui tudo certo! Bom...o problema da C. é o "distúrbio" alimentar mais comum de se ver. Um misto de "anorexia" seletiva (ela só come o que gosta) com o "uso" da comida como um modo de te enfrentar, de fazer manha, de barganhar (só não sabemos exatamente o quê). Se a C. almoçasse na escola era bem capaz de vir na agenda que ela comeu super bem - e é verdade! Tenho vários pacientes que iniciaram o almoço na escola justamente por isso, porque a mãe estava quase louca com a situação, acreditando que sua filha ficaria desnutrida com esta situação. É claro que isso não existe: só é desnutrido aquele que não tem o que comer. Como melhorar esta situação? Temos vários modos. O primeiro é relembrar diariamente dos seguintes pontos fundamentais: - só é desnutrido aquele que não tem o que comer (repetindo!!!). - quanto mais nervosa você ficar no momento da alimentação, pior será. - comida boa é privilégio, não obrigação. - se a C. tivesse algum problema alimentar "de verdade", ela não tomaria bem o leite, as bolachas e a fruta na escola. - é importante ter fome para comer bem. Em segundo lugar, especificamente para a sua filha: quem sabe ela almoce melhor se você deixá-la dormir quando volta da escola? Não acho um problema almoçar às 14h00. Ela estará descansada e com mais fome. Guarde no mínimo 3 horas de diferença entre a mamadeira da tarde e o jantar. Ou seja: mamadeira às 17h00, jantar às 20h00. E isso vale para todas as refeições. Insista um pouco com a comida, faça um "teatro" sem exageros, e se a C. não quiser comer, deixe estar. Retire o prato e fim da história. MAS, IMPORTANTE: não demonstre, de forma alguma, irritação ou nervosismo. Tire o prato e pronto. Respeite sempre os demais horários. Não dê mamadeira ou frutas substituindo a refeição ou logo depois, caso ela não coma. Recomendo que você leia um livro rápido e interessante, que está no site da Clínica , chamado Vamos Comer!: Método Estivill - Autores: Eduard Estivill e Montse Domenech. É um método interessante - até um pouco diferente do que eu te mostrei - mas com os mesmos princípios.

Assine nossa newsletter e receba primeiro, nossas novidades, dicas e notícias.

© 2016 Clinica Len - Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por E-assis